Escola de Artes Visuais (EAV)

Histórico 
A Escola de Artes Visuais (EAV) é o centro de formação de artistas plásticos da Secretaria de Estado da Cultura (Secult). Trata-se de uma das poucas escolas públicas da área de artes no Centro-Oeste. Os artistas plásticos da cidade ministravam oficinas artísticas no MAC. Esses artistas-professores, percebendo a grande demanda, pensaram logo em colocar em prática um velho sonho: criar uma escola pública de arte que primasse pela qualidade de seu ensino.
Assim, o local das antigas instalações do Restaurante do Centro de Tradições Goianas, no Edifício Parthenon Center, recebeu, em 1991, uma reforma para ganhar nova feição, sob responsabilidade de Aguinaldo Coelho.
A Escola de Artes Visuais, foi, então, fundada pelo Decreto Lei nº 11.685, de 03/04/92. A inauguração do espaço aconteceu no final desse ano, com exposição de Dinéia Dutra, que foi homenageada com nome de sala na própria escola.
Com a ajuda de alunos e professores, a escola foi crescendo.
Leonan Fleury foi o segundo diretor. Esteve à frente da unidade por curto período, apenas realizou as primeiras contratações. Logo que saiu, Maria Tereza assumiu a direção da escola, em 1993, permanecendo até hoje.
Desde à fundação, é cobrada uma taxa dos alunos. Inicialmente, R$ 3. Hoje, R$ 5. Os valores arrecadados são revertidos para a própria escola, depois de depositados em conta específica em nome da Agepel. A Escola de Artes Visuais recebe alunos bolsistas (apenas 15 por turma, o que facilita o trabalho).

Importância Sociocultural
Uma das poucas instituições públicas de ensino de arte contemporânea no Estado, a Escola de Artes Visuais é um espaço de trabalho e ensino que, através da criatividade e da liberdade, busca o despertar do aluno para a arte. Oferece cursos e workshops nas mais diferentes técnicas das artes visuais, com preços diferenciados e acessíveis.